ESPERO QUE ESTEJAM FELIZES, PAREI DE ESCREVER (: NÃO DÁ PARA CONTAR COM VOCÊS

ES

Posted 27 Julho 2012, Há 1 ano | reblog this post

SÓ MAIS 3 DIAS GENTE, DEPENDE DE VOCÊS.

Posted 24 Julho 2012, Há 1 ano | reblog this post

VOU PARAR DE ESCREVER, É SÉRIO, NINGUÉM NUNCA FALA COMIGO, ENTÃO NÃO SEI SE ESTÃO GOSTANDO OU NÃO, QUERO QUE ATÉ SEXTA QUE VEM VOCÊS ME MANDEM UMA ASK FALANDO SE CONTINUO OU NÃO. CASO NINGUÉM MANDE , PARAREI DE ESCREVER.

Posted 20 Julho 2012, Há 2 anos | reblog this post

Capítulo 5:

     Não me lembro muito bem de sexta, acho que faltei, estava com muita dor de cabeça.
     Coloquei o relógio para despertar ás 11:30h. Iria limpar a casa e lá para o fim da tarde iria me arrumar.
     Levantei, tomei um banho e fui limpar a casa. Quando lavei a louça percebi que tinha cortado o dedo, um pequeno corte, ams ardia muito, coloquei uma fita e continuei a fazer as tarefas domésticas.
    Era mais ou menos 14:50 quando Angel me ligou para confirmar se iria mesmo. Logo depois que desliguei o telefone subi para o banheiro e comecei a tomar outro banho, lavei os cabelos, passei hidratante e perfume. Coloquei minha calça preta, minha blusa verde e um sapato de salto, passei meu batom preferido e rímel. Do jeito que estava, já estava bom. Olhei no relógio e já eram 18:30h, o que fiz que demorei tanto? Deve ter sido a escolha da roupa, mas não tinha problema, estava com o carro.
    Coloquei a chave no contato e liguei o carro, sai da garagem e fui para a casa da Angel. A porta estava lotada de carros, o gramado já estava cheio de copos plásticos e já havia muita gente se pegando. Estacionei o carro no primeiro lugar que vi próximo a casa dela, caminhei pelo gramado já sujo e entrei na casa. Muitas pessoas da escola, muitos amigos, e Gale parado perto da porta do banheiro. Acenei para ele, e ele veio em minha direção. Conversamos sobre a ausencia dele, sobre o que fez, sobre filmes, sobre músicas… sobre tudo quase, e nisso a noite foi passando, Gale viu a fita em meu dedo e perguntou o que era, expliquei para ele. Quando vi Angel corri para falar com ela, a abracei e rimos muito, ela parecia estar feliz por eu ter ido, quando de repente, o idiota do Patrick disse bem alto, para que todos na festa ouvissem: ” Ei Gale, você sabe que a Alana é afim de você né?”. Todos olharam para Gale e eu, fiquei imóvel, surpresa, e Gale fixou o olhar em mim, esperava que ele falasse algo do tipo ” Que isso gente, a Lana é minha amiga” ou até mesmo ” Ah, sei lá meu, acho que não”, mas ele não disse nada disso, ele me humilhou, ele me magoou, ele disse: Problema dela. Quando ouvi essas palavras sairem de sua boca me deu uma dor tão grande, um sentimento horrível, queria nunca existir, queria que ele não existisse, eu precisava sair dali. Caminhei pelo corredor com todo me encarando, Angel veio atrás de mim, me pedindo para ficar e não ligar para o que ele havia dito, mas não tinha como, poxa, dói muito. Entrei no carro, minhas lágrimas escorriam, minha visão estava embaçada, não enxergava nada quase, minha visão estava reduzida à zero, igualmente a minha moral. Liguei o carro, sai dalí, precisava sair o mais rápido possivel, pisei o mais forte que podia no acelerador,  Angel não mora perto de casa, de repente, não sei o que aconteceu, eu estava vendo sangue no chão, minha cabeça doia, o carro estava longe de mim, só conseguia pensar em como fui parar ali, estava toda arranhada, o chão estava molhado, acho que tinha chovido, mas não conseguia pensar em mais nada, não conseguia me mover, e conforme tudo ia ficando escuro vi alguém, um menino aparentemente bonito, não parecia com Gale, nunca tinha o visto antes, mas fechei os olhos, e ouvi sua voz, uma voz doce, como se estivesse preocupado comigo, e ouvi ele falar meu nome.

Posted 20 Julho 2012, Há 2 anos | reblog this post

Capítulo 4:

     Quando cheguei na casa da Angel já havia muito refrigerante, filme e a pipoca já estava pronta.
— Angel, não acredito que já está tudo pronto, nós sempre preparamos na hora.
— Eu sei, mas dessa vez o Gale vai ficar com a gente.
— Não acredito que chamou ele, isso é uma coisa só nossa.
     A porta da cozinha bateu e Gale apareceu.
— Espero não ter causado nenhum problema. Aliás, fazia tempo que não ficava com as duas.
— Ta bom Gale.
— Logo ela desestressa Gale. -Angel riu, mas Gale continuava sério.
— Então… Que filme vamos ver hoje?
— Sexta-feira 13. -disse sem hesitar.
— Interessante, não vale tampar os olhos.
— Haha, otário.
     Angel deu play no filme, e Gale sentou no meio de nós duas. Acabando o filme, Angel perguntou novamente se eu iria na festa, olhei para Gale e para ela, parecia que Gale quisesse que eu fosse, fiz que sim com a cabeça.
    Bom, já era 00:10, e Gale tinha ido embora fazia mais ou menos quinze minutos.
— Então vai na festa né?- Angel riu.
— Vou. -ri também.
— Gale fez mágica.
— Cale a boca, por favor. -joguei a almofada nela.
     A festa já era no sábado, e já era quinta-feira.  A semana foi tão sem graça que passou rápido demais, ainda mais que quarta-feira não teve aula. Tinha que pensar na roupa que iria, quem me levaria, o que falaria, como me comportaria… afinal, queria “impressionar” Gale.

Posted 29 Junho 2012, Há 2 anos | reblog this post

Capítulo 3:

     Ele me abraçava e me beijava, os lábios dele eram tão macios, e o perfume dele era marcante. Pena que foi apenas um sonho, o mesmo sonho de sempre. Sorte que Angel me mandou sms, mas mesmo assim acordei atrasada, me arrumei correndo. Sabe aqueles dias que você coloca a primeira roupa que vê? Então, coloquei meu jeans preto, minha regata branca e meu tenis preto, olho no relógio e vejo que não dá tempo de fazer praticamente nada, coloco uma tiara no cabelo e saio correndo com a mochila nas costas. Pego a chave do carro em cima da mesa e abro o portão. Mal acabei de ligar o carro e escuto alguém me chamando, ao me virar vejo Gale correndo, ele entra no meu carro.
— Vamos Lana, vamos nos atrasar.
— Mas eu não disse que te levaria. Se a gente não estivesse atrasado faria você descer e ir a pé.
— Depois você briga comigo Lana, vamos logo. - ele disse desesperado enquanto eu saia com o carro.
— Tá. - digo com raiva- Mas onde você está morando?
— Três casas depois da sua.
     Fomos conversando até chegarmos na escola. Lá descobri que a primeira aula dele era no outro prédio, pois o vi correndo para o lado direito, e eu fui em frente. Entrei na aula de Artes e sentei do lando de Angel.
— Eu vi você e Gale.
— Você o que?
— Descendo do carro. Calma.
— Ah sim, é, dei carona pra ele, não foi só eu que acordei atrasada.
— De nada por te acordar.
— Obrigada Angel , por fazer eu não faltar hoje. - disse fazendo careta.
— Por nada. -ela riu.
     A aula foi legal até, a professora passou um trabalho em que temos que fazer uma caricatura de alguém. E hoje era o dia de dormir na casa da Angel, fazemos isso desde que tinhamos 7 anos. O resto das aulas foram chatas, só sei que entrei no carro e fui pra casa, ontem ele estava com meu padrasto e hoje a sorte foi que ele deixou comigo. Craig é legal, ás vezes.

Posted 26 Junho 2012, Há 2 anos | reblog this post

Capítulo 2: II

— Deixei.
— Sim, vim devolver.
— Eu estava pensando em  buscar, mas não sei onde você está morando, então decidi pegar no colégio de novo.
— Não precisou Lana, já estou aqui. -ele riu- Porque está só com a cabeça pra fora?
— Estou de pijama.
— Edaí? Pare, saia logo dai.
— Não.
     Começou a chover, e ele ainda estava parado na minha porta, não sei se devo convida-lo para entrar, melhor não.
— Nana, vem brincar comigo - gritou Thom.
— Já vou pequeno, espere mais um pouco.
— Já que não vai me convidar para entrar, vou para casa, pegar chuva, ficar doente, ficar sem ir pro colégio…
— Começou o drama né? Entre logo, mas limpe os pés.
     Era mais ou menos 15:45 e Gale estava na minha casa, mal podia acreditar.
— Nana, vem logo. - Thomas já estava desesperado.
— Estou indo Thomas.
     Gale foi para a sala junto comigo, Thom já estava no tapete segurando seus bonecos,  me deu um, dois para Gale e ficou com 5. A cada momento Thom soltava um boneco e pegava o outro. Ouvi um barulho de chave, Thom saiu correndo para a porta, minha mãe tinha acabado de chegar.
— Mamãe, mamãe, mamãe, o Gale voltou. -disse Thom entusiasmado.
— Sério meu amor? -disse minha mãe pegando Thom no colo e indo para a sala.
— Olá Senhora McField. -disse Gale.
— Olá sumido, como está? Oi querida.
— Oi mãe, já dei comida pro Thom, está na hora dele dormir.
— Estou bem e a senhora? - Antes de se mudar Gale sempre jantava aqui em casa junto com a Angel. - Estava com saudades de todos vocês, especialmente do churrasco de vocês.
— Engraçadinho, fique para o jantar, logo menos o Craig chega.
— Tenho que ir para casa logo, já está tarde, vim mais para devolver os horários da Lana.
— E já devolveu, nos vemos amanhã Gale.- ao mesmo tempo que queria que ele ficasse em casa, queria que ele fosse pra acsa dele.
— Não seja mal criada Alana. Então venha jantar algum dia conosco Gale, ficariamos felizes.
— Janto sim, vou logo para casa antes que minha mãe pense que eu morri. Boa noite.- Gale foi embora, e fiquei feliz que ele veio devolver meus horários.
     Depois que Gale foi embora as horas passaram mais rápido, eu queria vê-lo de novo. Fiquei anciosa para ir no outro dia e ver se ele estava em mais alguma aula comigo.

Posted 25 Junho 2012, Há 2 anos | reblog this post

Capítulo 2: I

     O sinal tocou, Gale veio falar comigo, e agora? Sinto que estou corando, devo ignorá-lo ou falar normalmente? Acabou o tempo para pensar, ele me disse algo.
— Hã?- eu perguntei.
— Eu disse olá Lana. Quanto tempo.
— Olá Gale, muito tempo mesmo. Como está?
— Estou bem e aposto que você também. - ele sorriu de lado, como sempre faz quando tem a certeza de algo.
— Estou. - digo sorrindo- Não atende mais telefone não? Eu deveria te espancar.
— Que isso. - ele segura minha mãos rindo, me impedindo de bater nele- Eu mudei de número, desculpa não avisar.
— Talvez eu desculpe. Qual sua próxima aula?
— Química e a sua?
— Também.
— Podemos ser parceiros de laboratório, o que acha Lana?
— Tanto faz - faço bico e viro o rosto, ainda não acredito que ele esqueceu de me avisar que trocou de número.
— Ai meu Deus, ela tá bravinha comigo.
     Ele está me abraçando, estou morrendo, ou melhor, vou morrer, em 3, 2…
— Gale, esqueceu de mim?
     Essa voz irritante, voz de prostituta, é a ex namorada do Gale, Katie Adams. Ela o trocou pelo jogador de futebol americano Patrick Deans depois de dois dias que Gale se mudou. E agora que Gale voltou aposto que ela vai se jogar pra ele, como sempre.
— Ah, oi Katie. - vejo o tom de desprezo na voz de Gale.
— Senti sua falta.
— Interessante.
— É sério Gale.
— Está bem Katie, agora me dê licença que eu e Lana temos uma aula, acho que seu idiota jogador está te procurando.
     Estou paralisada com o jeito que Gale falou com ela, se fosse antes ele estaria grudado nela, fazendo tudo para ela. Parece que Katie não tem chance nenhuma mais com Gale.
     Chegando na aula já sentamos um do lado do outro. Senti tanta falta do Gale, do jeito bobo dele.
— Ei Lana. Deixe-me ver os seus horários.
— Cale a boca Gale.
— Por favor Lana.
— Depois.
— Agora Lana, por favor.
— NÃO.
— Algum problema senhorita Broscken? - disse o professor Rogers.
— Nenhum professor.
— Ótimo, então vamos continuar com a aula.
— Feliz agora Thompson? Tome os horários.
— Obrigado.
     Acabou a aula, ainda bem, não aguentava mais a aula do Rogers. Sempre a mesma coisa, sempre o mesmo assunto. Estou quase no meio do caminho quando me lembro que esqueci o horário com Gale, vou até a casa dele pegar… Esqueci que ele tinha se mudado e agora não sei se ele mora no mesmo lugar de novo, melhor ir no colégio mais tarde pegar os horários novamente.
     Mal deitei na cama e Thom me chamou.
— Que foi Thom? - perguntei prendendo o cabelo.
— Tem um moço dizendo ser seu amigo lá fora.
— Ta bom Thom, vá ver TV agora. Obrigada. - ele me deu um beijinho na bochecha e saiu correndo para a sala.
     Ao abrir a porta vejo que Gale está lá fora, e eu, estou de pijama, ele não pode me ver assim, vou ficar um pouco atrás da porta.
— Você deixou seu horário comigo.- ele disse olhando para o chão.

Posted 24 Junho 2012, Há 2 anos | 1 nota | reblog this post

CAPÍTULO 1

     O dia está demorando muito pra passar, é o segundo período e ainda não fiz nada.
     A grama dessa escola é tão descuidada, só percebi isso agora. Talvez o cara da TV tenha razão e hoje chova, se chover vou tomar chuva, esqueci a droga do guarda chuva em casa. Acho melhor ir em baixo da árvore e dormir um pouco, estou co…
Buuuu - disse Angel.
Você me assustou.
— Desculpe, mas eai, vai na festa sábado?
— Não sei, acho que não.
— Ta de brincadeira comigo né? Bom, vou deixar você resolver logo, mas saiba que se não for, vou te ligar as quatro da manhã.
     Ela fez aquela cara de sempre, a mesma que usa para me fazer rir quando estou irritada. O ruim, é que ela me assustou, mas enfim, Angel quer que eu vá na festa, não sei se vou, tenho que estudar para a prova de segunda e a festa vai acabar domingo de manhã só, fora que ninguém vai conseguir dormir.
     O sinal tocou, vou correr para a aula de matemática, semana passada a diretora Rugguies me pegou cabulando e só não fui suspensa porque ela é minha vizinha.
     Deu tempo de chegar na aula, parece que foi cronometrado, mas peraí, ele voltou pra escola? Ele está na minha sala? Vou mandar um SMS agora para Angel.
                     ” Ele voltou, ele está aqui, o Gale está do meu lado.”
    Não consigo acreditar que ele voltou, e ele está me olhando. Melhor prestar atenção na aula antes que eu fique vermelha, afinal, logo essa aula acaba e vou para o laboratório, impossível ele tem aula lá, comigo ainda.

Posted 24 Junho 2012, Há 2 anos | 1 nota | reblog this post